tempo

o tempo corre, voa
escoa por entre os dedos
os medos
os segredos
os segundos
outros mundos
e já não é, foi-se, ontem
sempre tudo ontem não-mais
e vai-se
o hoje é uma constante espera
uma perene saudade

(scs, 29116)

Print Friendly, PDF & Email

A impressão de sua alma a esse poema: