insiste

começaria um novo dia
se um novo dia nascesse

e poderia o sol aquecer
o dia se o sol quisesse nascer

a lágrima deixaria de correr
se a tristeza deixasse de ser

mas o novo dia nasce sem sol
e como antes a tristeza

navega nas lágrimas
e insiste em ser

(scs, 281111)

Nunca mais

eu reencontrei um sorriso
no meu rosto
desnutrido, esquecido
quase irreconhecível

tomei-o com cuidado,
temeroso de quebrá-lo
fiz-lhe respiração boca a boca
molhei seus lábios com chuva

ele se contorceu um pouco
– parecia sentir dor –
tentou balbuciar qualquer coisa
– seria uma despedida

ou uma canção de amor? –
mas não pôde, não quis
ocultou-se de novo
e nunca mais o vi.

(scs, 29511)

a rosa

a rosa
caída
na calçada
é poema
que a chuva leva

a mão
pequena
molhada
das lágrimas
que olhos tristes
choviam
colheu
a rosa
trazida por
outra chuva

e os olhos
sorriram
com o poema
entre as mãos

(publicada em 26.10.09; atualizada em 11.2.18)