da ausência

recebi sem nenhuma surpresa a notícia de teu
silêncio
já há muito ele se insta
lar
a
mal disfarçado com
gemidos e sorrisos,
sussurros e gentilezas
mas gritando sua mudez sem fim
nos dias e nas noites
da alma

em silêncio repousa a ausência de ser
e de sons,
e nada mais há a não ser
nada

(scs, 11212)

silêncio

tenho zumbido nos
ouvidos
que me acompanha por
boa(?) parte da vida
hão há silêncio dentro de mim,
mas coro com
pensamentos
vozes gritos lamúrias
sonhos idéias ideais
lembranças torturas
sorrisos passados
imagens névoa
músicas
e um ruidoso silêncio
que não quer calar

(p, 19911)