sem título

à Shan

não, eu voltei
de tanto ver-te
fascinado

e agora continuar
envolvido em deliciar-me
apaixonado

não, eu fugirei
pra ti mesma toda
aprisionado

(scs, 25813)

olhos nos

1
abrem-se
convictos
da
manhã
que
surge

2
vagueiam
cheios
de
respostas
sem
perguntas

3
olho
e
vejo-te
olhas-me:
não
sei

4
olhos
nus
olhos
nos
olhos
nós

5
na
janela
que
me

vejo-me

6
te
vejo
em
meus
olhos
tristes

5
mergulho
em
teus
olhos:
afogo-me
águazul

6
e
tão
tonto
tento
então
rever-me

7
olhares
que
fogem
maltratados
de
abandono

8
os
OlhOs
Olho-Os
vazi0s
num
s.i.l.ê.n.c.i.o

9
insisto:
olhe-me
como
outro
que(m)
sou(?)

10
(temo
olhar
e
de[ver]
te
amar)

11
“nunca
vi
ninguém
assim!”
ah,
sim…

12
– vi-me:
a
dor
ampla,
nunca
vista

13
antevejo
meus
olhos:
lágrimas
e
ninguém –

14
olha-me
com
outros
olhos:
os
teus

15
meus
olhos
leais
lamentam:
não
mais

16
vejo-te
como
nunca
– e
sempre
foste

17
vemos
o
que
vi(fo)mos:
foi-se
insaudoso

18
vemo-nos
como
de
novo
primeira
vez

19
invisível
ah!
mar
de
amor
– olhares

20
cúmplices
mãos
dadas
vamos
vemos
somos

névoa

lembro-me de não te
ter visto ainda
assim tão bela

lembro-me de não me
saber assim tão
apaixonado e livre

lembro-me de não haver
nascido um amor tal
como hoje, sublime

lembro-me de não ter
tocado pele assim tão
macia e terna

lembre-me de não me
despertar

(scs, 10913)

das conseqüências da felicidade

não dormia mais
ou, se dormia,
não mais sabia
se sonhava ou
se o via

nem se cansava
de esperar na janela
o tempo que demorava
para ele aparecer
e, quando vinha,
o tempo não demorara tanto
e passava tão rápido
que nem parecia ter vindo

não precisava mais respirar
– pensava ela –,
só sentindo, à luz da janela
o perfume dele no ar:
doce cítrico ingênuo só dele,
com um sorriso maior
que o rosto
– e por nada mais tinha gosto

não se sentia mais só,
nem no final da tarde
nem ao visitar a avó,
sabia sentia que ele estava por ali
naquele ventinho suave a balançar a cortina
na voz que a fazia mulher-ainda-menina
no olhar que no coração sorria

– e ele nunca soube que ela existia.

(scs, 301212)

carta

todos os dias esperava
o carteiro
lhe trazer uma carta de
seu distante e único amor
que nunca partira
que nunca a havia amado
que nunca lhe escreveu uma carta

todos os dias esperava
ser amada

(scs, 14813)

sem título

poucas
g  o
  t  a
      s
c
  a
   i
   n
  d
o

são

  g
   ri
     m
      as

     mas
     também
amor
    es

(scs, 29713)