sem título

nem sempre há razão
na dor ou no vazio
que habita o olhar, a mansão,
que produz em lágrimas um desvario

(scs, 11212)

A impressão de sua alma a esse poema: