sem título

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

conforme vive
o menino
sem destino
reflete no olho
um poema:
sua estrela almejada
no fim daquela avenida
que a mão há tanto queria
abraçar

(sp, 71214)

Print Friendly, PDF & Email

A impressão de sua alma a esse poema:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×
%d blogueiros gostam disto: