parto

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

no repouso longo da caneta
a palavra se esconde
foge
sonolenta
sem memória
surda e sem voz

é convocada, exigida,
luta intensa
distração, fuga
rédea
suor
a falar

membros atrofiados, enrijecidos
dor ao menor esforço
distante lembrança do prazer
de manifestar-se.

mas a palavra gera palavra
que se traz à tona
e se desnuda e procria
e se alonga e se espalha
irradia luz e idéias e palavras

(scs, 19110)

Print Friendly, PDF & Email

A impressão de sua alma a esse poema:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×
%d blogueiros gostam disto: