Não

nem o espelho o via
sem sombra,
seu espaço percorrido pelas pessoas
a chuva atravessa seu não-estar
o vento carrega folhas através de seu peito
ele não há

(mc, 1059)

A impressão de sua alma a esse poema: