de homens e borboletas

Muitos
feiúra permanente
irremediável.

Todas
beleza efêmera
fotografável.

Por que essa injustiça, meu Deus?

(mc, 4119)

(fonte da foto)

Print Friendly, PDF & Email

A impressão de sua alma a esse poema: