Tríade

tríade 5

o menino triste
correu pela rua
sorrindo como criança.

25 maio 2012

tríade 4

preciso viver como
se essa esperança
já houvesse morrido.

25 maio 2012

tríade 3

come sem pressa
comida sem sal
vivendo sem graça.

25 maio 2012

tríade 2

você me ouviu
quando lhe disse:
não lhe ouço?

25 maio 2012

tríade 1

a angústia morreu
enquanto o vento
soprava o cabelo.

25 maio 2012

tríades

Dia desses, brincando com as palavras, surgiu da ponta da caneta um poema de três versos de três palavras cada. Gostei da forma. Suficiente pra dizer algo, insuficiente pra dizer tudo, suficiente pra fazer pensar, suficiente pra criar sentidos, ambigüidades (sem, eu continuarei usando trema), mistério, humor. Suficiente pra poetar.
Então, decidi criar (na verdade, nem sei se esse tipo de poema já existe) a forma tríade. Ao lado das aldravias, as tríades são um desafio intencional de briga com as palavras, provocação à qual nenhum poeta resiste.

25 maio 2012