calçada

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×

passagem fortuita pela rua
encontro
um assombro

imprecisa presença
na mesma calçada
mas em outra vida

nem mesmo os olhos vêem
não há
apenas um acidente

um momento de estarmos ali
no mesmo ar
sem existência

já nem lembrança
a calçada não guarda pegadas
o vento sopra

apenas pó e cheiros
da vida e risos dos outros
caminhos que andam

seguem, dispersos
desencontros
e continuamos não sendo

(scs, 20110)

(fonte da foto)

Print Friendly, PDF & Email

A impressão de sua alma a esse poema:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Email -- Filament.io 0 Flares ×
%d blogueiros gostam disto: