as moedas e o luar

um menino só
que nunca viu o luar
é esquecido na praça
e nunca mais o procuram

o menino encontrou
na praça duas moedas
e sonhou ser um rei
com um tesouro que lhe comprava

o luar. naquela noite
a lua surgiu, e as moedas
no bolso abrigadas na mão:
o rei não podia comprar a prata do céu.

o menino só, que agora viu
na praça o luar e as moedas,
sentiu-se amado e sorriu desconfiado
de que teria de acordar.

(livremente inspirado na criança que não é criança e que não está viajando só neste ônibus; sp, 16112)

A impressão de sua alma a esse poema: