Monthly Archives: julho 2013

171

ele
era
precocemente
infantil

08 jul 2013

170

um
desconhecido
me
sorri
com
medo

08 jul 2013

169

na
carteira
a
última
nota.
sem

08 jul 2013

crônica

no ônibus,
um homem
fala sozinho.
comigo

06 jul 2013

168

não
me
retires
de
tua
retina

06 jul 2013

167i

prestavendo
minupétalas
seussigilos
noitenudados
ausentessendo
apaixonado

06 jul 2013

dois

parada na calçaDa
o último ônibus nãO chega
mas, ainda assim, ri baixinho,
– cobre o Rosto com o lenço de seda,
presente que não queria Devolver: a lembrança
semprE havia mais uma noite
e a mesma espera, agora infeliz –,
pois não queria voltar ter de voltar
porém, tinhA de.
por isso, talvez, ria sem pensar no
descarinho de não se sentir Melhor
(seria possível um dia ser outra vez?
como o ontem, o domingo que passou tão rápido,
abandonado de marcas e Abraço?)
o ônibus chegou. atRasado. mas ele veio.

(scs, 3613)

06 jul 2013

definição

o poeta
é um mentiroso
que sempre diz a verdade.
ou o contrário.

05 jul 2013