Monthly Archives: novembro 2012

tríade 16

do outro modo
era nada muito
sempre ou igual

15 nov 2012

133

pontuais
e
impontuais:
todas
me
irritam

15 nov 2012

mútuo

eu gosto
de Emília,
e milho,
de mim!

09 nov 2012

132

vício:
promete
prazer,
entrega
dor.
fim.

07 nov 2012

Chamar a Si Todo o Céu com um Sorriso (e. e. cummings)

que o meu coração esteja sempre aberto às pequenas
aves que são os segredos da vida
o que quer que cantem é melhor do que conhecer
e se os homens não as ouvem estão velhos

que o meu pensamento caminhe pelo faminto
e destemido e sedento e servil
e mesmo que seja domingo que eu me engane
pois sempre que os homens têm razão não são jovens

e que eu não faça nada de útil
e te ame muito mais do que verdadeiramente
nunca houve ninguém tão louco que não conseguisse
chamar a si todo o céu com um sorriso

(Fonte)

07 nov 2012

sem título

chove lá fora
e aqui
chovo por dentro

07 nov 2012

liberdade

pena

estrangulei tua leveza
com amável rudeza:
não mais voas

(Ilustração: Caleb)

05 nov 2012

dois apreços

Drummond e canetas tinteiro.

01 nov 2012