acenamos-lhe

nós víamos o barco se afastar
e os acenos e os apitos
se misturando se ensurdecendo
a cabeça triste sumia
entre tantas igualmente ou felizes
e terminava a vida
no cair da tarde
– e nunca mais

(scs, 16612)

manhã

naquela manhã sepultada
mentiu ao bom-dia:
não quis viver

mentiu de novo
sobre o medo
de ser outro

não conseguia ver
seu olhar sereno
nem a chuva

(scs, 16612)