quando

Quando acordei do sonho que era sonho,
a neblina fria lá fora
chorava na janela.

Quando acordei do sonho que era real,
o sol aquecia e sorria
aqui dentro.

(scs, 10412)