Monthly Archives: dezembro 2011

5

repousa
aqui
um
pouco,
viajante
louco

31 dez 2011

4

silenciosamente
despertou
o
amor;
envergonhada,
desculpou-se

31 dez 2011

3

à
sombra
descansa
o
sol
suado

31 dez 2011

2

como
vida,
alma
querida,
quero-te
bem

31 dez 2011

1

O
primeiro
amor
nunca
se
emudece.

31 dez 2011

aldravias

Conheci recentemente o Jornal Aldrava e a nova proposta de forma poética (a aldravia) que ele propõe. Encantei-me de imediato. É um desafio imenso poetar com seis palavras, dando a elas conteúdo, forma, sentimento, imagem, fluidez…
Aventuro-me aldravianeiramente desde então. Nas próximas publicações, aldravias (identificadas apenas por números).
Um poético 2012 a todos.

31 dez 2011

caminho

se caminho só
só caminho.
se contigo caminho
vivo.

(scs, 221211)

22 dez 2011

garden

à shan

Te olhei e,
então,
te vi.
Estavas tão linda!
Sim, como estavas de tal modo
linda!
E por um instante o tempo parou séculos
parado também a ver
como estavas linda!
Mas o tempo não voltou…
não posso mais olhar para outras manhãs
e te ver em outras manhãs
em outros jardins
em que também estavas
tão linda!

(sn, 031211)

11 dez 2011

noite de sexta-feira

é finda a chuva
não há mais porque chorar
engulo meu pranto de viúva
só, afogo-me no mar

(scs, 91211)

09 dez 2011

f & r

a troca de olhares
cega
o caminho dos pés
segue
para o precipício.

(scs, 61211)

06 dez 2011

%d blogueiros gostam disto: